Mais céu, sol, vento, nuvens, aves.
Trilhos que existem para transpor dificuldades, para nos mostrarem história, para nos conduzir a novas descobertas para lá de mais uma montanha. E as urzes da primavera ou as neves do inverno, os rios de água cristalina, frios, que convidam a um mergulho no calor do verão.
.....................................



Dia da Árvore

As árvores e as suas próprias histórias de milhares de anos. A beleza destes seres vivos, sobrevivência e adaptação que antecedeu a existência do Homem.



A serra em flor

A serra transforma-se numa paleta de cores e aromas que pairam no ar fresco. Urzes e giestas ficam cobertas de flores. É a natureza a renascer na primavera.



Dia do Vento

No embalar dos pássaros, no bailado das árvores, a força que modifica a paisagem. O vento, o antigo "anemoi" que o "Eólo" comanda vamos senti-lo no rosto.



Mergulha no Arouce

Sente-se no corpo as águas frias que descem da serra quando mergulhamos na piscina fluvial da Sr.ª da Piedade nos dias de calor. É o verão na Lousã.



Batalha do Buçaco

A 27 de Setembro de 1810 trava-se uma das batalhas que levou ao fim das "invasões francesas". Assistimos ao recriar da história de Portugal.



Tons de outono

O Outono instala-se na serra e por entre as paredes de xisto do Talasnal e Castelo Novo enquanto vislumbramos a princesa Peralta no castelo de Arouce lá ao fundo.



Dia da Bolota

A bolota dos carvalhos, sobreiros e azinheiras já teve grande importância na alimentação Humana. São as árvores da floresta portuguesa.



Dia Floresta Autóctone

A importância da floresta e o exemplo da Floresta Relíquia. Compreender como funciona o seu ecossistema, preservar para a Humanidade.



Tesouros da Lousã

Existem tesouros que se encontram na forma de artes e ofícios, paisagens e gastronomia. Procuramos estes tesouros e, talvez, ouvir a brama dos veados.



Dia das Montanhas

Da cruz alta, talvez vejamos neve no topo de algumas serras: Caramulo, Arada, Freita, Montemuro, Leomil, Lapa, Estrela, Açor, Lousã e Boa Viagem.